Polir e manter madeira, vime, inox e até ferramentas de jardim. Vários usos para um só produto: Azeite de oliva.

O azeite de oliva é considerado um dos mais importantes e antigos óleos vegetais comestíveis do mundo. Comercializado por toda a parte, ele é responsável por sabor e aroma únicos. O azeite é produzido a partir da prensagem de diferentes tipos e tamanhos de azeitonas (essa diferença pode fazer com que o produto final seja mais ou menos ácido).

Utilizado principalmente para temperar saladas, verduras e legumes, esse óleo também traz diversos benefícios à saúde (veja mais aqui) e está substituindo o óleo de cozinha para refogar e fritar alimentos. Além de tudo isso, o azeite não polui o meio ambiente, ao contrário do óleo de soja, que se for descartado incorretamente contamina rios (aproveite para ver aqui como fazer sabão do óleo de cozinha usado).

Mas você já pensou que além dos benefícios ao coração, à pele, às unhas e ao cabelo, o azeite de oliva pode fazer maravilhas fora da cozinha? Por incrível que pareça, ele é um poderoso agente de limpeza. Acompanhe abaixo cinco truques caseiros que utilizam azeite:

Polimento de móveis de madeira – em vez de comprar polidores de móveis que contêm substâncias tóxicas, como os VOCs, dê um trato na sua mobília de madeira com azeite. O óleo vegetal vai ajudar a remover a poeira, proteger sua madeira de arranhões e prevenir futuros anéis de bebida. Para fazer isso, você deve misturar duas partes de azeite com uma parte de suco de limão e aplicar na madeira com um pano de microfibra ou gaze em um movimento circular. Certifique-se de usar essa mistura apenas para madeiras acabadas – para as inacabadas, use óleo mineral;

Limpar ferramentas de jardim – coloque um pouco de azeite em um pano velho e limpo e aplique a solução nas partes de metal de suas ferramentas de jardim. O azeite vai ajudar a evitar o acúmulo de sujeira. Ao terminar a jardinagem, utilize o mesmo pano para limpar as ferramentas;

Corrigir porta que range – o ranger de uma porta é um som bastante irritante. E o mais incrível é que o azeite resolve. Com ele, você consegue lubrificar as dobradiças e silenciar o barulho da porta. Basta colocar azeite em um pano ou cotonete de algodão e aplicar diretamente no topo da dobradiça estridente;

Proteja móveis de vime – para ajudar a manter os móveis de vime inteiros e sem a possibilidade de racharem, esfregue cuidadosamente azeite quente na mobília com um pano limpo. E para alcançar as partes menores dos móveis, utilize um pincel antigo;

Brilhar aço inoxidável – verifique se o aço está livre de sujeira antes de dar um brilho. Basta utilizar uma bucha vegetal, água quente e sabão para limpar todos os detritos. Depois, coloque azeite em um pano limpo e macio (um de microfibra funciona bem) e passe em movimento circular com uma pressão firme até que a superfície fique brilhando; Redação: e-cycle

Dicas para acabar com o mofo no guarda-roupa.

guarda5192866091_6ee5f3b208_zHá inúmeras dicas caseiras para evitar o problema, mas caso a sua roupa já esteja manchada veja duas formas de resolver, de acordo com a cor do tecido:

– Roupas coloridas: Mergulhe tecidos coloridos em leite fervente até a mancha desaparecer.

– Roupas brancas: Deixe o tecido de molho em água quente com sal.

Com as temperaturas baixas do inverno é hora de tirar os velhos casacos do fundo do armário. É nessa hora que nos deparamos com o seguinte problema: a roupa que estava guardada há muito tempo está cheia de mofo. Para resolver essa questão é simples, veja as dicas abaixo e escolha a que se aplicar melhor ao seu caso.

– Coloque as roupas de frio no sol durante o verão ou lave-as.

– Pelo menos uma vez ao mês, tire as roupas e limpe o armário com água e vinagre para evitar fungos e retirar possíveis manchas de mofo.

– Coloque um pote com bicarbonato de sódio, cal ou gesso dentro do guarda-roupa. Troque-o a cada seis meses.

– Coloque pedaços de algodão embebidos em essência de terebintina nos cantos e gavetas.

– Use produtos antimofo durante a faxina. – Para eliminar a umidade, deixe um pedaço de giz em cada prateleira.

– Faça sachês com cravo-da-índia: basta colocar os cravos em um tecido fino e fechar o saquinho utilizando uma fita. Renove o sachê a cada três meses.

– Uma receita simples e bem conhecida é misturar água com água sanitária ou vinagre branco, na proporção de um para um. Basta passar a composição com um pano nos armários, gavetas, paredes e cômodas.- CicloVivo

Impressão de estradas de tijolos.

Tiger Stone é uma máquina de pavimentação holandesa que usa a gravidade e um motor elétrico para “imprimir” estradas de pedra e tijolo.
É uma máquina de seis metros de largura, capaz de assentar 400 metros quadrados de estrada por dia e uma de suas vantagens é a diminuição de resíduos.pavimento

Impressora de pavimento 2

Ao final a máquina sendo transportada por caminhão. Prático e rápido.

Dicas para conservar roupas.

croqui_barbie_1Como é grande a concorrência com produtos importados, veja bem se vale a pena comprar aquela blusa básica da mesma marca que você comprava a alguns anos atrás. Mas com certeza você encontrará uma blusa bem parecida nas lojas de saldos, é só garimpar, e ainda terás roupas de qualidade no armário. Se não, terás que comprar duas ruins, que com certeza são ruins de passar, encolhem, desbotam,…um horror , sai mais caro e se for algodão dá para perceber a diferença até no conforto de vestir;

Quando for comprar uma calça, pense o quanto você gastará, se você ver uma blusa incrível,… coloque na balança e compre a calça e a blusa pelo preço pensado só para a calça. Isso parece ridículo, mas é possível, principalmente se você costuma gastar um pouco mais.

Uma dica ainda é comprar roupas básicas e discretas e variar nos acessórios, só a bolsa/colar/relógio e o calçado já fazem muita diferença. Ou mesmo um colete ou blusa de manga leve jogado por cima e nem parece que usou a mesma blusa na semana passada. Dobrar manga, colocar pra dentro da calça,…são inúmeras as opções.

Mas fora meu lado pão-duro, vamos a umas dicas de conservação:

Lavar sempre com água fria, pois água quente estraga a trama de qualquer tecido e o faz rasgar, assim como a água sanitária, evite. Já existem outros produtos branqueadores que fazem o trabalho, num pote rosa…

Acontecendo algum acidente com a roupa, separe-a junto com outras que precisem ser arrumadas, encurtadas, pregar botões,…para fazer tudo de uma vez, com maior motivação.

Dica mais profí: Evite lavagem a seco  Máquinas de lavagem a seco usam tetrachloroethylene, uma substância cancerígena. Procure lavanderias que trabalhem com “wet cleaning” ou CO2 líquido. Muitas peças que antes eram lavadas a seco agora podem ser lavadas a mão, especialmente as de seda, lã e linho. Fique de olho nas etiquetas. Se você preferir recorte as orientações e cole em um pequeno caderno ou guarde em uma caixinha para conferir quando precisar.

Compre peças usadas, troque com amigas, acessórios então, saem muito mais em conta, mas não esqueça de lavar tudo com desinfetante, sim desinfetante do tipo “Pinho… “esses mesmo, 1/3 de copo, mas diluído na água (naquela parte da máquina onde diz Alvejante), “pelamordedeus”, o mesmo vale pra roupas íntimas, roupas de cama e toalhas.

Roupas brancas com manchas de suor, utilize vinagre branco, meio copo é o suficiente. Faz o milgare;

Junte muita roupa antes de lavar, para economizar na água, luz, sabão e amaciante (e serviço). Acostume-se a deixar as roupas de molho de um dia para o outro.

Na hora de estender, pense em quem vai ficar horas debruçado sobre a mesa e depois é você que vai aguentar a pessoa reclamando de dor nas costas. Estenda sem esticar para evitar que deformem, dê aquela sacudida básica que também ajuda;

Se estiver procurando por uma lavadora nova, verifique se possui selo de economia energética (no Brasil, do Inmetro). A mesma dica vale para os ferros elétricos.

Muitas empresas, além de cuidarem da natureza, investem em sustentabilidade e responsabilidade social. Valorize e incentive esse tipo de ação. Procure saber onde ficam as fábricas das empresas que você compra. Muitas multinacionais utilizam abordagens de mercado que incluem maximizar o lucro e deixar de lado preocupações humanitárias, como a luta pelo fim da exploração de mão-de-obra infantil e escravidão (problemas comuns em países latinos, asiáticos e africanos).

Ao optar por blusas de PET, pense se você não é alérgico a sintéticos, orgânicos como algodão são sempre mais confortáveis e permitem a transpiração sem causar alergias, etc. (Inclusive roupas íntimas)

Observe aquelas roupas e acessórios antigos e descubra um potencial fashion adormecido. Caso não agrade a ideia, reúna o que não precisa mais e leve a entidades carentes. Se nós não encontramos novidade, outros encontrarão. Não é porque aquele vestido não está na próxima tendência que ele merece ir pro lixo. Se for algo que de-jeito-nenhum-você-usará-novamente, venda, troque, doe. Há muita gente no mundo precisando de ajuda. Fique informado sobre ONGs e entidades que prestam auxílio a pessoas necessitadas. Colabore com movimentos de apoio a vítimas de catástrofes climáticas (como enchentes e tempestades). É uma maneira de amenizar as consequências do aquecimento global e motivar uma mudança. Com inf da Eco Trends & Tips

Sementeiras feitas com rolos de papel higiênico,

sementeiras papel higienico

Todo mundo que é apaixonado pelo meio ambiente já quis ter ou tem plantas em casa. Mas, não simplesmente plantar algo já crescido, muito menos artificial. A diversão está em plantar a semente e cuidar até que cresça forte e bela. Um jeito bem sustentável e interessante de se fazer isso é utilizar rolos de papel higiênico como sementeiras!

A ideia é bem simples e a foto acima é autoexplicativa. Corte rolos de papel higiênico ao meio e coloque-os um ao lado do outro. Não esqueça de agrupá-los dentro de um recipiente, pois você irá adicionar terra e água. A dica é colocar pedras no fundo para a água não carregar a terra junto. Depoisplante a semente e cuide da terra adicionando água quando necessário.

Para o sucesso total da sua pequena plantação, informe-se sobre os períodos de melhor geminação de cada semente que você deseja plantar. Além disso, procure outras dicas sobre como cuidar, quantidade de água a adicionar. Saber, por exemplo, que na fase inicial não deve-se deixar a planta exposta diretamente ao sol, é muito importante. Após o crescimento, você pode transportá-la para um vaso.

Além do próprio benefício de plantar, há também aqueles que ensinam aos filhos, alunos, etc. Passar esse conhecimento adiante, para as novas gerações, pode fazer uma grande diferença. E mais, por ser um aprendizado “mãos na massa” e divertido, as crianças tendem a guardar mais facilmente. Talvez você estará educando mais um apaixonado pela natureza!

Refresque o ar da sua casa sem produtos tóxicos.

Não é à toa que chamamos a nossa casa de nosso lar. Queremos sempre mantê-la limpa, organizada e com um ar puro para revigorar-nos quando chegamos cansados do trabalho. Mas, infelizmente, alguns produtos que usamos para isso não são tão adequados, contendo algumas partículas tóxicas que podem nos trazer problemas no futuro. Que tal uma ajudinha para purificar sua casa de forma saudável?

Muitos dos purificadores de ar em spray ou tomada, além de jogarem partículas tóxicas no ar, não eliminam os odores, apenas os mascaram. Ao optar por purificadores ecológicos e orgânicos, você dará ao seu lar uma cara muito mais gostosa e saudável, dando mais segurança aos seus filhos e animais de estimação.

Você pode até encontrar produtos comuns não-tóxicos, mas irá desperdiçar energia conectando-os na tomada, por exemplo. Hoje em dia, purificadores de ar à base de plantas são bem fáceis de achar também. Até porque, os produtos ecologicamente corretos evitam testes com animais! Mas, lembre-se de prestar atenção no rótulo. Afirmar ser natural e inodoro não garante que seja ecológico.

E você ainda pode ir além e personalizar o seu próprio purificador de ar. Veja algumas dicas:

  • Abrir as janelas;
  • Adicione plantas, elas melhoraram significativamente a qualidade do ar interior, removendo o dióxido de carbono e outras toxinas;
  • Deixar pequenos frascos com bicarbonato de sódio ou vinagre em toda a casa para absorver odores desagradáveis;
  • Ferver especiarias como cravo e canela em uma panela cheia de água tira odores e adiciona um aroma delicioso ao ar;
  • Queimar soja pura e velas de cera de abelha com chumaços de algodão também ajudam a limpar o ambiente;
  • Saquinhos de ervas orgânicas espalhados por toda a casa deixam uma fragrância sutil.

Plantas refrescam ar da casa

Fonte: Ciclo Vivo

Faça você mesmo: reutilize materiais e decore sua casa!

Se pensarmos no futuro dos materiais antes de jogá-los fora, vamos nos dar conta de quanta coisa legal pode ser feita com eles. Hoje, vamos mostrar que a criatividade aliada à vontade de fazer pode render móveis novos e decorações incríveis!

Mas se você está sem ideias, mas com muita vontade de fazer, aí vão algumas dicas bem bacanas:

Super diferente, um palete de madeira ou aquela caixa de feira pode ser pintada e transformada em mesinha.

Faça você mesmo

As calhas podem virar prateleiras para livros, revistas ou até suporte para quadros. Legal este cantinho da leitura para a garotada, né?

Faça você mesmo

Nesta peça a criatividade foi mais longe. Uma cabine telefônica transformada em sofá. Eu quero um desses!

Faça você mesmo

Um piano antigo pode virar uma linda estante para livros.

Faça você mesmo

Além de malas e caixas de instrumentos que tem a forração necessária para…

Reciclando meias-calças.

Apesar de serem unanimidade nos guarda-roupas femininos, as meias-calças são pelas frágeis e delicadas, e podem ser usadas apenas algumas vezes, mas logo rasgam ou desfiam. Para não deixar de usar meias finas e ainda assim colaborar com o meio ambiente, é possível reaproveitar as peças para soluções úteis para o dia a dia. Quer ver?

Amarradores de cabelo – Esse truque é válido desde o tempo das nossas avós: corte as pernas das meias em tirinhas e use-as para prender os cabelos! Além de renderem dezenas de amarradores, as meias são mais resistentes e não arrebentam os fios, como os elásticos tradicionais.

Faixas de cabelo – Não estamos sugerindo que você saia na rua com tiras de meia-calça na cabeça, mas utilizar as partes da cintura e da coxa da peça como faixas pode ser útil na hora de limpar a pele ou fazer a maquiagem. Tem ainda quem aposte no truque para fazer faxina sem se incomodar com a franja!

Recuperar tarraxinhas de brincos – Ao colocar um pedaço da meia no bocal do aspirador, você consegue recuperar tarraxinhas, alfinetes e outros objetos minúsculos que podem ter sido aspirados durante a limpeza.

Limpar sapatos – Aprendemos a dica com um experiente engraxate, e é uma maravilha! Depois de encerar os sapatos, passar um pedaço da meia por todo calçado dá um brilho incrível e ainda tira o excesso de produto.

Conservar cebolas – Essa também é uma dica antiga! Não é um charme para decoração, mas muitas pessoas, principalmente de áreas rurais, utilizam as meias para conservar as cebolas por mais tempo. Corta-se a meia-calça velha em tiras e pendura-se os pedaços, já com os bulbos dentro.

Transplante de plantas – Na hora de tirar o vaso do lugar, a meia tem uma função especial: ao ser colocada no fundo do recipiente, ela funciona como um filtro, impedindo que a terra escape.

Enchimento – Se  você tem uma gaveta cheia de meias-calças desfiadas, saiba que elas são ótimas para dar um “up” às almofadas e travesseiros meio murchos. A dica vale também para bichinhos de pelúcia!

Um litro de luz, como assim?

A criatividade e a sustentabilidade sempre andaram juntas. Seja como um meio de atrair ainda mais pessoas às causas ecológicas ou para ultrapassar o obstáculo que é produzir sem agredir a natureza. Os filipinos provaram na prática que com criatividade você pode realmente fazer muita coisa em prol do planeta, até lâmpadas com garrafas PET!

Hoje em dia, a energia elétrica não é muito valorizada pela maioria da população mundial, pois já passaram a considerá-la como básica. Entretanto, em muitas partes do mundo há milhares de famílias vivendo sem. E esse é o caso das Filipinas: poucas casas têm acesso à energia. Assim, precisaram ser criativos para colocar um pouco de luz dentro de casa, sem gastar.

Projeto “Um litro de luz”: eles pegaram um pedaço de metal, fizeram um furo no meio e colocaram uma garrafa PET cheia de água; depois encaixaram em um furo no teto da casa. Pronto! Com efeito equivalente a uma lâmpada de 50 ou 60 watts, a luz do sol refletiu na água e se espalhou pelo quarto. Claro que durante a noite o escuro ainda seria um problema, mas ter luz dentro de casa, sem custos, mesmo que apenas na parte do dia, já é um grande progressos para essas famílias.

lampadas de garrafas pet

Prefira água da torneira!

Há polêmicas acerca do hábito de beber água diretamente da torneira. Enquanto certos estudos afirmam que o ato evita cáries, devido ao flúor existente no líquido, outros afirmam que a mesma substância pode ser altamente danosa à saúde. Para evitar problemas, existem diversos modelos de filtros, desde os antigos feitos com barro, até os mais recentes modelos elétricos.

Independentemente da sua escolha, o recomendável é deixar de lado a água engarrafada. Além das consequências em relação ao descarte inadequado e à fabricação (que emite CO2), o custo da água engarrafada é muito maior do que o de filtrar a água da torneira.

garrafa-pet-lixo-525

As garrafas de água, na grande maioria das vezes, são feitas de um tipo específico de plástico derivado do petróleo chamado politereftalato de etileno, comumente conhecido como PET. De acordo com matéria publicada na revista National Geographic, os EUA, maior consumidor mundial de água mineral engarrafada, supre sua demanda anual com o equivalente a 29 bilhões de garrafas, para as quais a produção envolve cerca de 17 milhões de barris de petróleo na manufatura do PET. Uma quantidade considerável, sobretudo ao pensarmos que se trata de um produto praticamente descartável. Isso mesmo, uma quantidade enorme de energia envolvida para que utilizemos somente uma vez o produto. De certo importa as reciclabilidade do material, mas não devemos esquecer o investimento em energia e logística necessários à reciclagem e, sobretudo, que somente uma fração do produto acaba sendo reprocessado.

Enfrentando o problema

O IPEA aponta que, no Brasil, entre os anos de 1974 e 2003, houve um aumento no consumo de água mineral por famílias, de 5.694%. A ideia seria diminuir o consumo de água engarrafada ao mínimo necessário. De acordo com o Ministério da Saúde, a Anvisa e as empresas de saneamento estaduais afirmam que a água que sai da torneira das residências é própria para consumo imediato.

Mesmo assim, o mais indicado para o consumo de água em casa seria a combinação da filtragem e a não geração de mais lixo, assim como a precaução contra a possibilidade de exposição da saúde a riscos desnecessários (potencialmente associados ao consumo de água engarrafada em embalagens plásticas). Os filtros domésticos são boas opções. Alguns dos modelos utilizam energia elétrica, mas há outros que não requerem o consumo de eletricidade. Dos filtros não movidos a energia elétrica, uma boa alternativa é o Pure It, da Unilever, pois além da economia de energia, não exige conexão com a tubulação e possui, como se espera, tecnologia microbicida eficaz. A capacidade de filtragem do kit purificador declarada pelo fabricante é de 750 litros. Variações de preços podem ocorrer, mas ao considerarmos o custo do litro de água engarrafada à razão de 1 real o litro, o valor alcançado no consumo dos 750 litros será superior a três vezes o valor do aparelho.